sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

A espera de 2011

Mais um ano se finda,
Tantos sonhos realizados, outros desperdiçados e alguns não realizados.
Tantas vitórias e algumas derrotas,
Tantos foram os que deixaram de brilhar na terra para virarem estrelas na constelação celeste.
Quantos deram mais vida ao mundo com o seu nascimento.
Quantas pessoas passaram por mim neste ano,
Algumas passaram e deixaram profundas marcas,
Outras passaram e levaram muito de mim.
Tantos amigos que encantaram, encantam e continuarão encantando-me.
Tantos dias de êxtase,
Tantos dias de angustias,
Tantos de dias cara fechada,
Tantos dias com o sorriso estampado no rosto,
Tantos dias de cores e brilho,
Tantos outros de decepção, lágrimas e dores.
Nem tudo é como queremos
Daqui a pouco um novato chegara,
Um novato chamado 2011.
E mais uma vez cumpro aqueles velhos rituais
De fazer um balance das coisas que eu fiz durante o ano
Será que eu fui uma boa menina?
Quantos eu magoei?
Quantos eu fiz feliz?
Será que fui útil na vida de alguém?
O que eu preciso mudar em mim pra que eu seja alguém melhor, um alguém que faça diferença no mundo?
Estou pensando qual será cor da minha roupa, talvez rosa para atrair um amor,
Ou branco pedindo paz,
Ou quem sabe azul, para que o ano seja regado por esperança.
Mas eu não preciso somente de uma cor.
Eu preciso que todas as cores se unam e façam um mundo mais lindo para se viver.
Eu ainda não sei o que irei pedir para o senhor 2011,
Tenho tantos sonhos e tantas metas.
Creio que irei renovar os pedidos de cada dia.
Que em 2011 eu possa amar e ser amada,
Que meus amigos continuem sendo meus amigos,
Que a minha família continue sendo meu porto seguro,
Que o amor crie raízes firmes em meu coração,
Que o mundo possa ser mais justo,
Que as pessoas não desistam de sonhar,
Que a paz reine,
Que eu possa ser mais humana.
Que eu possa sair por aí,
Transformando meus dias em um papel,
E que o meu coração seja uma canetinha
Capaz de escrever singelos rabiscos.
Que a vida tenha mais cor.
Que a esperança não morra.
E que os sonhos se tornem realidade.
E que o amor prevaleça.
Que 2011 possa ser um ano recheado de coisas boas
De realizações
De sonhos e esperança
E que os 365 dias possam ser como poesias
Alguns escritos tristes
Outros alegres
E que o autor sejamos Nós mesmos
Porque cada um é responsável pelo conto denominado VIDA
Que 2011 seja um ano marcado por coisas simples e por pessoas especiais.
Um ano leve e com sabor especial
Mas para que as mudanças aconteçam é preciso que tenhamos a coragem de jogar tudo de ruim fora e preenchermos esse espaço com coisas que nos façam mais humano.
Para todos
Um feliz ano novo

Sú Ferraz




um tal de 2010


2010 chega ao fim
Um ano inexplicável
Um ano em que eu descobrir que a tristeza não pode ser a maestrina da minha vida
Em que o amor só existe quando o coração está puro de todas as maldades
Em que eu descobrir os doces sabores da escrita
Transformei lágrimas, sorrisos, alegria, amor, desilusão, amizades, vida, passeios...
Em singelos rabiscos
Que deram vida a poemas escritos pelo coração e pela alma
Um ano que eu desfrutei as melhores companhias possíveis
Em que eu rir para não chorar
Ou que eu rir porque tinha que celebrar a vida, os amores e os sonhos
Também chorei
Chorei e muito
Choro de criança que queria um colo e um cafuné
Choro de uma mulher desiludida
Choro de uma mocinha sonhadora
E cada lágrima me ensinou que as dores são grandes escolas
E a cada dor eu me fiz e [re] fiz
2010 foi um ano que deixei-me ser levada pelo amor
Tive sonhos embalados pelas mais belas canções
Sonhei... Sonhei... Sonhei e acordei para celebrar a vida
Um ano em que me fizeram feliz
E que eu tentei fazer alguém feliz
Não sei se conseguir, mas eu tentei
Enfim
2010 foi um ano em que eu me disfarcei em versos
Para rabiscar páginas em branco
E construir umas histórias de uma moça sonhadora
E que 2011 seja uma ano de encontros
Uma ano que eu quero estar vestida de rosa
Para que os meus dias tenham a cor e o sabor da paixão
E que minha vida ganhe mais tempero
Adeus 2010
Seja bem vindo 2011

Sú Ferraz

Noite poética

Contagem regressiva
Para o inicio de um espetáculo.
O cenário era uma praça,
Recheada por gente alegre, divertida e eufórica.
Temperatura: um calor avassalador.
E de repente o sonho
Tornou-se verdade
E aquela noite calorosa
Transformou-se em uma noite poética.
A cada pulo,
A cada aplauso,
E a cada melodia
Fazíamos de conta que o mundo era perfeito.
Uma noite, um sonho e uma verdade
Uma noite mágica
Feita por um Teatro
Noite que a palavra de ordem era ser feliz
E que a palavra mais bela,
Era a palavra redigida pelo coração
Mas “de repente toda mágica se acabou”
Aquele espetáculo acabou
E vou por aí soprano
Rabiscando singelas palavrinhas
Disfarçando-me em “versos no papel”
A procura de contos e encantos
A procura da mágica chamada de felicidade.

Show do Teatro Mágico
*21/12/10

Sú Ferraz

sábado, 25 de dezembro de 2010

É Natal mais uma vez



Dia 25 de dezembro, mais uma vez comemoramos o natal.
Natal, festa cristã.
Que tem como foco principal comemorar o nascimento do menino Jesus,
Uma festa cristã que aos poucos foi abrindo espaço para o mundo capitalista.
Hoje é dia de mesa farta, trocar presentes,
Dia das crianças esperarem ansiosas a vinda do bondoso Papai Noel com um saco repleto de presentes.
A cada natal eu concluo que tal data aos poucos vem perdendo a sua essência.
Se comemoramos o nascimento de Cristo, o Salvador do Mundo
Um homem simples,
De coração puro,
Um Homem que morreu por todos nós.
Então, porque o Natal se transformou em uma festa de exclusão?
Em uma data em que somente quem tem um poder aquisitivo pode comemorar.
O Natal deveria ser uma data reflexiva.
Momento de pensar e re [pensar] o nosso papel no mundo,
Momento de sermos solidários com os sofredores,
Momento de compartilhar o pouco ou o muito que temos.
Enquanto muitas mesas estão fartas,
Muitos não têm ao menos um grão para se alimentar.
Enquanto compramos roupas para renovar o guarda-roupa,
Alguns remendam a única peça que tem para vestir.
Tantas crianças aguardam com expectativa seus presentes,
E outras só queriam um lar, um pedaço de pão e um simples presente.
Muitas famílias decoraram suas casas, trocaram móveis,
E outras muitas famílias só queriam um teto para morar.
Se Cristo fosse realmente a essência do Natal,
Se as pessoas comemorassem tal data com um coração puro,
E se o capitalismo não dominasse a mente, o bolso e por muitas vezes a alma das pessoas,
O Natal existiria em sua plena essência e seria uma festa de e para todos.
Para todos aqueles que acreditam que o Natal não se resume simplesmente em presentes, comidas, Papai Noel e consumismo,
Para todos aqueles que acreditam que o Natal é feito por coisa simples e bela como um abraço e desejos de felicidade,
Para todos que crêem que o Natal é época de solidariedade, tempo de alegrarmos com o nascimento de Cristo
Eu desejo
Um Feliz, lindo, alegre e solidário Natal

Sú Ferraz

domingo, 19 de dezembro de 2010

Uma noite especial



Uma noite especial
Uma noite com uma brisa suave,
Céu iluminado e
Muitas cores.
Decorada por casais apaixonados,
Entrelaçado por olhares intrínsecos.
Por gente bonita
Por gente sonhadora
Uma noite sem mandamento

 Com direito a sonhos e fantasias
Ao som de músicas que faziam
O corpo ficar mais leve
O coração palpitar com mais intensidade
Os olhos lacrimejarem
E levaram os pensamentos
A um mundo irreal e infla [amável]

 Uma noite onde o meu desejo era
Retirar toda angustia e tristeza do meu coração
Noite em que eu desejei ter uma varinha de condão
E em um toque de mágica
Transformar meus desejos em realidade
Pena que a fantasia daquela noite acabou
Tive medo de ir embora

 De encarar a realidade da minha vida
Mas o refrão daquela música ainda ecoa em mim
“Eu conheço o medo de ir embora
E nada que interessa se pode guardar
Lembra se puder
Se não der esqueça
De algum jeito vai passar”

Sú Ferraz

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

dia de festa





“Às vezes é um sorriso que acompanha uma esperança”
E ao som de Noel Rosa,
Em uma casa agradável,
Com cores e vida,
Harmonia e música,
Risos e resenhas,
Brincadeiras, elogios e presentes.
Tarde regada por um bom vinho,
E por uma cerveja
E pela saborosa culinária.
Sob um céu com nuvens escuras,
E a ameaça de uma chuva sob o Sertão da Ressaca
Reunimos,
Para celebrar e brindar mais um semestre que se finda
Para festejarmos  a vida
Para deliciarmos ao som de uma boa musica
E com risos
Temos a esperança de reunimo-nos outras vezes
Para brindarmos as vitórias de cada dia
E aos meus queridos companheiros de curso,
Pessoas amáveis e divertidas
Cada um com seu jeitinho de ser
Uns super alegres
Outros tímidos
Alguns são artistas
Outros, a arte em pessoa
Tantos foram e serão os bons momentos que dividimos
Momentos únicos
De quem aprendeu
Que o que importa é ser feliz
E andar com um sorriso que seja capaz
De irradiar felicidade por onde passares.
E como diz Lys
Beijos, flores e abraços para todos

Sú Ferraz

sábado, 11 de dezembro de 2010

flores, cores e amor

Entre tantas flores
Ao brilho de cores
Ao som de um sambinha
Aos delirios de um riso
E a ilusão de tantos sonhos
A vida vai ganhando um sentido
mas que especial
Deixei de viver de amor
Para viver por amor

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

uma bela noite

Ontem foi um dia tão lindo
Uma noite tão agradável
Com gente bonita
Com sorrisos e cores
Uma noite embalada por uma boa música
Música que embalou os meus sentimentos
E aliviou as dores  empregnadas em meu coração
Enfim,
"Hoje eu acordei diferente, acho que tudo mudou"
Hoje é o cemeço de um novo tempo
Tempo de ser feliz
Tempo de vibrações positivas
Tempo de aprender e [re]aprender

Sú Ferraz

sábado, 20 de novembro de 2010

Dia da Consciência Negra




Hoje comemorados o dia da Consciência negra,
Dia de lembrarmos e orgulharmos de nossas raízes,
Dia dedicado à reflexão do que é ser negro
em um país em que ainda encontram-se sementes do racismo.
Dia de relembrar os milhares de negros africanos que foram arrancados de suas terras,
Trazidos em um navio e escravizados em terras distantes,
Tantos que morreram ao longo da viagem,
Outros inúmeros negros
Morreram pelo cansaço
Pela fome
Pelos maus tratos
Pelas dores.
Povo desvalorizado, humilhado, marginalizado,
E que com o passar dos anos
Procura mostrar a sociedade
Que o negro tem seu valor,
Que o negro não é simplesmente um coitadinho,
Mas o negro é acima de tudo
Um povo belo
Guerreiro
Lutador
Determinado
E com seu suor e sangue,
Lágrimas e gemidos,
Saudades e esperança
Ajudaram a construir a nação brasileira.
Hoje não é um dia de fingirmos
Que somos iguais.
Iguais em que?
Nas universidades somos minoria,
O maior índice de abuso sexual é cometido contra as mulheres negras.
Para a maioria das pessoas
O negro não é um padrão de beleza,
O cabelo do negro é definido por muitos como “cabelo ruim”,
Os lábios carnudos como “beiços inchados”,
Os ritos religiosos “coisa ruim”, ritos satânicos.
20 de novembro não é um dia dedicado ao ressentimento,
Mas é um dia de expressar com orgulho o que somos.
Somos negros,
Valentes e determinados.
Que procuram o seu lugar em uma sociedade excludente.
Hoje é dia de dá um
Viva a zumbi dos Palmares
E a todos os negros que lutaram pelo seu povo.
É dia de gritar que
Somos negros com orgulho!
Orgulho da nossa beleza,
Do nosso sorriso,
Do nosso cabelo,
Enfim, é dia de celebrar!
De conscientizar e ser conscientizado,
Que o negro vale muito,
Que o negro quer espaço,
Que o negro tem sua cultura.
É dia de gritar não ao racismo!
Viva Zumbi!
Viva os negros e negras,
Que constroem e transformam este país.

Axé

Sú Ferraz

domingo, 14 de novembro de 2010

Novos Tempos


Nas tardes frias e chuvosas do final do mês de outubro
Eu só pedia ao tempo

Que chegasse logo o verão
E que os dias quentes
Podessem aquecer meu coração 
E finalmente
Esses dias chegaram
Dias mais alegres
Sol
Canto dos pássaros
Flores
Cores
Dias quentes
Dias de mais vida
E que os dias do mês de novembro
Possam alegrar mais ainda a minha vida
Trazendo-me mais amores, mais cores, mais flores
Um novo tempo começa
Tempo novo
Tempo de viver
Tempo de ser feliz

Sú Ferraz